sexta-feira, 16 de maio de 2014

LAÇOS

Crescemos e envelhecemos, muitas histórias e vivências, encontros e desencontros, idas e vindas. Em meio a tudo isso é inevitável os laços que desenvolvemos com a vida. Laços que as vezes são fortes, as vezes são fracos, as vezes são... Quando nos isolamos em uma caixa de sombras de angustias e medos estamos amarrados com os laços dos sentimentos. Alegrias, momentos belos, um banho de cachoeira... laços de memória que nos fazem soltar um riso de alivio em meio a tormenta. O que dizer sobre os laços dos nossos sonhos, quando deitamos e viajamos numa realidade agradável como uma canção, uma peça de teatro, uma história com final feliz pra todas as partes. Desencontros... acordamos e estamos em meio a relacionamentos, com diferentes tipos de laços. Nossa família, amigos, colegas, amores e até inimigos... cada laço é único. Apesar de sermos seres únicos não estamos sós, fazemos nossos laços para compartilhar amor, expectativas, frustrações e fortalecimentos mútuos. Duas pontas formam o laço bem feito, forte e bonito. Depende apenas da intensidade, da entrega e da leveza pra que esses laços não se soltem com os desencontros do crescimento. Cultive seus laços com leveza e amor, eles são únicos. Podemos fazer vários laços nessa vida, mas os melhores são raros, belos e agradáveis de serem cultivados. (Autoria: Eduardo Mate).

Leia escutando a música 'Boa Sorte' de 'Vanessa da Mata':

Um comentário:

Tania Mate disse...

Uma frase que acho bem interessante e talvez acrescente a tão bela reflexão "Seja forte o suficiente para abrir mão do que não lhe serve mais, e paciente o suficiente para esperar por aquilo que você merece" Yehuda Berg.