quinta-feira, 28 de março de 2013

CARREFOUR FRAUDA EMBALAGEM E VENDE CARNE ESTRAGADA

Cliente comprou carne à vácuo com data de validade alterada e produto estragado

Na última quarta-feira, 27, a jornalista Gisele Turteltaub comprou uma carne estragada e embalada à vácuo no hipermercado Carrefour, no bairro do Cambuci, em São Paulo. Gisele denúncia que a carne estava com alteração na etiqueta com o prazo de validade do produto - um pedaço de Capa de Filé da marca Friboi (foto). "Assim que abri a embalagem, o cheiro da carne podre tomou conta de toda a cozinha. Na mesma hora me dirigi ao atendimento ao cliente da unidade", relata a jornalista que teve o dinheiro pago pelo produto devolvido pela loja. 
A carne, embalada à vácuo, estava com indicação de que havia sido embalada na própria quarta-feira, porém, segundo Gisele, era possível identificar que havia sido colada uma etiqueta por cima de outra, o que levantaria a hipótese de fraude no prazo de validade da carne colocada à venda pelo hipermercado. Além da jornalista, ao menos outros dois consumidores também reclamaram por terem adquirido peixes estragados na loja do Carrefour. Gisele registou reclamação na Vigilância Sanitária de São Paulo na manhã desta quinta-feira: "Com certeza eles alteram a etiqueta da data de embalagem", suspeita a jornalista.

Hipermercado vende carne estragada com etiqueta dentro do prazo de validade. Imagem: Reprodução Facebook.
O Carrefour já foi alvo de outras denúncias pelo mesmo motivo: venda de carne estragada. Através do site ReclameAqui, Nathani de Santo André (SP), afirmou no dia 20 de março: "Comprei uma carne estragada. No adesivo consta a data da fabricação 14 de março de 2013. Porém, no adesivo do frigorífico, que estava escondido em baixo da etiqueta e não tinha como visualizar, estava escrito que a data de fabricação real do produto era de dois meses antes, 16 de janeiro de 2013".
Em Goias, Luciana, também através do site ReclameAqui, registrou sua queixa no dia 12 de fevereiro: "Pela segunda vez tive um dessabor com o Carrefour. Comprei uma carne embalada à vácuo e ao chegar em casa e abrir a embalagem percebi, pelo forte odor, que a carne estava estragada".
O Portal Terra (clique aqui) fez reportagem em 2010 sobre a venda de carne estragada de uma loja do Carrefour em Goiânia. Segundo a matéria, mais de duas toneladas de alimentos vencidos e adulterados que eram comercializados pelo hipermercado foram apreendidos. 
Ainda neste ano (2013), um vídeo publicado no Youtube (ver abaixo) do hipermercado Carrefour de Curitiba mostra um consumidor irritado após adquirir uma carne estraga.  



Já na cidade do Rio de Janeiro, segundo o registrou de outro consumidor, o supermercado vendia bacon com vermes nas prateleiras. Assista as imagens publicadas no canal de Bruno Lage, no Youtube:


OUTRO LADO

Procurada pelo blog, a assessoria de imprensa do Grupo Carrefour emitiu o comunicado abaixo: 
"O Carrefour esclarece que, logo que tomou conhecimento da manifestação da consumidora,  prontamente prestou o atendimento e realizou o reembolso do valor do produto. A rede ressalta que, quando o produto é embalado a vácuo, traz as datas de fabricação e validade impressas pelo fabricante na própria embalagem. Quando o item chega às lojas, a rede acrescenta a etiqueta de preço, que registra também a data de conferência da pesagem do  produto feita no ponto de venda.  É importante ressaltar que todas as carnes bovinas adquiridas e comercializadas nas lojas da rede possuem o selo SIF - Serviço de Inspeção Federal. O Carrefour reforça  que segue de maneira estrita as normas da Vigilância Sanitária e demais legislações vigentes, sempre buscando oferecer produtos de qualidade comprovada em todas as suas unidades".

2 comentários:

Gabriela (jornalismogabriela@gmail.com) disse...

Nunca tive problema com as carnes do Carrefour. Frequento o Carrefour Imigrantes, sempre compro carnes na promoção e nunca passei por isso.

Os hipermercados têm que colocar etiqueta nas carnes e nela a data que foi etiquetado, data de validade de novo. Isso não é adulterar!

Será que em alguns casos, o fabricante também não tem culpa? Eles são os primeiros a manipular as carnes, sabe lá Deus quanto tempo elas ficam expostas até serem embaladas.

Vale refletir.

obrigada

Sara disse...

Não há nada mais rico do que fazer comida caseira, você também tem que ter tempo de sobra, eu espero que em algum momento têm a oportunidade de fazê-lo, porque a verdade é que em algum momento eu gostaria de desenvolver alguma habilidade na cozinha e se Eu não tenho tempo sempre pedir comida kosushi